terça-feira, 21 de maio de 2019

LÍDER DO MBL JÁ PEDIU DERRUBADA DO STF



“Todo este Supremo tem que ser derrubado”, dizia Renan Santos em dezembro de 2018. Alguns meses depois, a opinião do coordenador do MBL mudou radicalmente.

Renan Santos, coordenador nacional do Movimento Brasil Livre (MBL), tem criticado fortemente os protestos convocados para o próximo domingo, dia 26 de maio, em defesa das reformas propostas pelo governo do presidente Jair Bolsonaro.
A justificativa utilizada por ele e outras lideranças do MBL para não declarar apoio aos atos foi a presença de supostas pautas “antirrepublicanas”.
Segundo eles, hashtags circulando nas redes sociais pediam a invasão do Congresso e o fechamento do Supremo Tribunal Federal (STF).
No dia 19 de dezembro de 2018, após uma decisão do ministro Marco Aurélio Mello, do STF, que liberou a soltura dos presos em segunda instância, entre eles o ex-presidente Lula da Silva, o coordenador do MBL publicou um vídeo pedindo a derrubada da Corte.
“Temos que ir às ruas antes do Natal. Esses caras não podem ficar impunes. Todo este Supremo tem que ser derrubado”, esbravejou Santos.

0 comentários:

CURTA!