terça-feira, 31 de março de 2020

BRASIL TEM 159 MORTES E 4.579 CASOS DA COVID-19, ‘VAMOS PASSAR POR DIAS DUROS”, DIZ MANDETTA

Um dia após passeio de Bolsonaro, Mandetta defende 'máximo grau de ...
Durante coletiva de imprensa interministerial nesta segunda-feira (30), o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, afirmou que as próximas semanas de combate ao novo coronavírus serão “duras” no Brasil. De acordo com as últimas informações da pasta, o Brasil tem 159 mortes e 4.579 casos da Covid-19. 

“Vamos passar por dias duros. E todo mundo tem que fazer sua autocritica e dizer ‘eu errei’ e vamos caminhando. Tem que ter fé.  Distanciamento social não quer dizer isolamento absoluto. Agora, o máximo que você puder não se expor e não expor seus familiares é recomendável”, disse Mandetta.
Sobre desencontro de discursos entre o que é recomendado pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e o que vem sendo feito pelo presidente Jair Bolsonaro, que neste domingo visitou e cumprimentou apoiadores em cidades satélites de Brasília, Mandetta destacou que a pasta liderada por ele segue “científica, técnica e trabalhando de acordo com o planejado” e reforçou a importância do distanciamento social.
As coletivas de imprensa que apresentavam o boletim sobre a situação do novo coronavírus no país ganharam novo formato a partir desta segunda, de acordo com o ministro da Casa Civil, Braga Netto, e sempre contarão com a presença de mais de um ministério – com o intuito de mostrar as ações coordenadas por outros órgãos do governo em conjunto com a pasta da Saúde.
“Gostaria de deixar claro que essa reunião aqui não acontece por motivos políticos, mas sim porque a crise [do novo coronavírus] atinge transversalmente o governo”, informou o ministro Braga Netto.
Segundo Mandetta, a pasta da Saúde continuará “trabalhando o máximo que podemos para preservar vidas”. “Procuramos mostrar para todos porque estamos adotando essas medidas. E se tivermos que ler e mudar, não temos nenhum problema em fazê-lo. Vamos continuar advertindo e orientando que o nosso inimigo número um é o vírus”, destacou o ministro.
Mandetta avalia ainda que agora é o momento de monitorar e prever cenários sobre o acontecerá no Brasil nas próximas semanas e voltou a defender o distanciamento social.
“A gente deve manter o máximo de distanciamento social para que até lá tenhamos tempo para que o sistema consolide sua expansão. Devemos aguardar a quantidade de hospitais de campanha que estão em construção. Não façam movimento de manada ou então teremos dois problemas ao mesmo tempo”, afirmou.
Na coletiva desta segunda participaram, além do ministro da Casa Civil, Braga Netto, e Mandetta participaram também Tarcísio Freitas (Infraestrutura), Onyx Lorenzoni (Cidadania) e André Mendonça (Advocacia-Geral da União).
*JOVEM PAN

0 comentários:

CURTA!