quinta-feira, 2 de julho de 2020

‘FGV DESTRUIU A MINHA CARREIRA NO MEC’, DIZ DECOTELLI

‘FGV destruiu a minha carreira no MEC’, diz Decotelli

“Se a FGV não tivesse me destruído, eu estaria agora trabalhando no MEC e ajudando o presidente Bolsonaro”, disse Decotelli.

O agora ex-ministro da Educação, Carlos Alberto Decotelli, teceu duras críticas, nesta quarta-feira (1º), à Fundação Getulio Vargas (FGV).
Decotelli disse que a instituição de ensino fez uma “covardia moral” e um “linchamento” ao afirmar, por meio de nota, que ele não era professor da instituição. “
Em conversa com o site Poder360, Decotelli disse que considera a nota da FGV “uma traição”:
“A Fundação Getúlio Vargas fez uma covardia impensável de jogar uma notícia na imprensa de que eu nunca havia sido professor da FGV. […] Estou recolhido. Rompi definitivamente qualquer compromisso com a FGV pela covardia moral do que fizeram.”
Já em conversa com o jornalista Eduardo Barretto, da revista Época, Decotteli disse que o “fake da FGV destruiu a minha carreira no MEC”.
Decotelli ainda enviou à revista fotos de seis prêmios da FGV em reconhecimento a seu trabalho como docente nas turmas de MBA.
Em um currículo interno da FGV, de acordo com o jornalista, Decotelli aparece com um histórico de docência em 25 turmas, de cinco disciplinas: Análise de investimento e riscos; Análise de viabilidade de projetos; Economia empresarial; Finanças internacionais; e Matemática financeira. 
Em toda as turmas, o agora ex-ministro foi avaliado com nota 10.
*RENOVA MÍDIA

0 comentários:

CURTA!