segunda-feira, 30 de novembro de 2020

PT NAUFRAGA NO 2º TURNO E VENCE APENAS EM QUATRO CIDADES

O plano do PT de voltar a retomar o espaço nos municípios a partir das cidades médias naufragou nas urnas neste segundo turno. Das 14 cidades que o partido disputou neste domingo (29), a vitória veio em apenas quatro: Juiz de Fora (MG), Contagem (MG), Diadema (SP) e Mauá (SP). 

Os petistas também perderam no Recife e em Vitória e, pela primeira vez desde 1986, não governará nenhuma capital brasileira a partir de 2021. 

Na maioria das cidades, o PT apostou em candidaturas de ex-prefeitos que chegam à campanha amparados por um reconhecimento de campanhas anteriores e pela marca da experiência. 

O objetivo do partido era retomar espaço dentre os 96 maiores colégios eleitorais brasileiros, grupo que inclui as 26 capitais de estados e 70 cidades de interior com mais de 200 mil eleitores. Há quatro anos, o partido havia vencido apenas em Rio Branco dentre as maiores cidades. 

A derrota mais dolorosa para o PT aconteceu no Recife, onde Marília Arraes, um nome jovem e em ascensão no partido acabou derrotada para o primo e deputado federal João Campos (PSB).

Uma vitória na capital pernambucana, além de representar a retomada de uma das cidades mais importantes do país, também seria uma lufada de renovação nos quadros do partido. 

Em Vitória, o ex-prefeito João Coser (PT) foi derrotado pelo deputado estadual Delegado Pazolini (Republicanos), candidato que tem perfil conservador, mas buscou afastar sua imagem do presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

O PT também sofreu derrotas inesperadas em Feira de Santana e Vitória da Conquista, as duas maiores cidades do interior da Bahia. 

Em Feira de Santana, o prefeito Colbert Martins (MDB) se reelegeu, derrotando o deputado federal Zé Neto (PT), em uma virada em relação ao primeiro turno. Em Vitória da Conquista, o prefeito Herzem Gusmão (MDB) foi reeleito. 

Estas duas cidades eram consideradas cruciais para o partido reequilibrar as forças dentre as maiores cidades da Bahia. 

No primeiro turno, o PT venceu em apenas um dos 30 maiores municípios da Bahia. Já o seu principal oponente no estado, o DEM, ganhou em nove das 30 maiores cidades. O resultado que fortalece a provável candidatura do prefeito de Salvador ACM Neto ao governo da Bahia. 

Outras duas derrotas simbólicas aconteceram em Guarulhos (SP) e em São Gonçalo (RJ), duas cidades consideradas estratégicas por terem mais de um milhão de habitantes. 

Em Guarulhos, o ex-prefeito Elói Pietá, que governou a cidade entre 2001 e 2008, fez uma campanha destacando sua experiência administrativa e fazendo críticas à atual gestão. Mas acabou sendo derrotado pelo prefeito Guti (PSD), que teve 57,2% dos votos e foi reeleito.

Em São Gonçalo, Dimas Gadelha perdeu por margem estreita para o Capitão Nelson (Avante). A cidade era principal aposta dos petistas no estado do Rio e consolidaria uma espécie de cinturão vermelho no leste fluminense. 

Também houve derrotas do PT em Anápolis (GO), Santarém (PA), Caixas do Sul (RS), Cariacica (ES) e Pelotas (RS). As quatro vitórias do PT neste 2º turno vieram em cidades de São Paulo e de Minas Gerais. 

A maior cidade que será governada pelo partido a partir de 2021 é Contagem, terceira maior de Minas. Lá, a ex-prefeita Marília Campos venceu o advogado Felipe Saliba (DEM) por margem estreita. 

Em Juiz de Fora, a vitória petista veio com a deputada federal Margarida Salomão, que disputava o cargo pela quarta vez consecutiva. 

As duas vitórias representam uma retomada de espaço do PT em Minas, que governará a terceira e quarta maiores cidades do estado a partir do ano que vem. 

O partido ainda venceu as eleições em Diadema, na Grande São Paulo, onde o ex-prefeito Filippi teve 51,3% dos votos contra 486% de Taka Yamauchi (PSD). Ele governará a cidade pela quarta vez. 

O partido também venceu por margem estreita em Mauá, que também fica na Grande São Paulo. O vereador Marcelo Oliveira teve 50,7% contra 49,3 do prefeito Átila (PSB), em uma virada em relação ao resultado do primeiro turno.

*FOLHApress

0 comentários:

CURTA!