terça-feira, 9 de março de 2021

PALMEIRAS CONQUISTA A TRÍPLICE COROA (TOSTA NETO)

Insofismavelmente, a temporada 2020 terá um espaço especial no coração da torcida palmeirense. Apesar das dificuldades de um calendário insano, surtos de Covid-19, perda de arrecadação e mudança de técnico, o Palmeiras conquistou três títulos, feito que eterniza a presente geração de atletas na história vitoriosa do Palestra Itália.

Ainda comandado por Vanderlei Luxemburgo, o Alviverde foi campeão paulista, porém o futebol apresentado não foi convincente, culminando na contratação do técnico português Abel Ferreira. Apesar dos pesares, o palmeirense ficou regozijado com tal trunfo pelo fato de ter superado na final o arquirrival Corinthians. Façamos uma menção honrosa ao legado de Luxemburgo, pois integrou vários atletas da base ao elenco principal, não obstante, tal integração seria natural e automática devido ao talento dos jovens jogadores palmeirenses.

O advento de Abel Ferreira revigorou o ambiente de trabalho e atuações mais contundentes foram demonstradas. Sem tanto alarde, o Alviverde avançou nas competições eliminatórias, até chocar o futebol sul-americano ao vencer por 3 x 0 (fora de casa) o poderoso River Plate; nem o torcedor mais fanático imaginaria um placar tão elástico. Na partida de volta, o Palmeiras foi encurralado e derrotado por 2 x 0 pela equipe do genial Marcelo Gallardo, mas o placar adverso não tirou a vaga palmeirense na finalíssima da Libertadores.

Num jogo pouco inspirador para o telespectador, o Palmeiras venceu o Santos por 1 x 0, alcançando o seu segundo título na competição de clubes mais importante das Américas. Sobre a “falta” de repertório futebolístico dos comandados de Abel Ferreira, é um fator que não tem a mínima importância para o torcedor, porquanto, o triunfo da vitória ofusca a carência de um futebol mais vistoso e atraente.

Logo após a apoteose, o Palmeiras viajou ao Catar para disputar o Mundial de Clubes da FIFA e não galgou a semifinal. Efetuemos um adendo: o Palmeiras estava desgastado fisicamente e enfrentou um adversário muito qualificado, o Tigres, campeão da Liga dos Campeões da CONCACAF. A eliminação para o time mexicano não foi um vexame, mas o aspecto mais negativo foi a derrota nos pênaltis para o Al Ahly, na disputa do 3º lugar, marcando a pior campanha de um clube sul-americano na história do Mundial de Clubes da FIFA. Todavia, a performance nos gramados do Oriente Médio não usurpou o brilho do inesquecível ano alviverde.

Subsequente ao regresso no território brasileiro, o foco palmeirense enveredou-se para a Copa do Brasil. Em duas partidas soberanas, o Palmeiras superou o Grêmio por 3 x 0 no agregado e conquistou a taça de forma incontestável. O Imortal Tricolor pouco ameaçou a “defesa que ninguém passa”. O triunfo em questão concedeu ao Palmeiras a Tríplice Coroa (Paulista, Libertadores e Copa do Brasil), feito inédito para o clube no século XXI; tais resultados atestam que o Palmeiras foi o rei do mata-mata na temporada. Poderíamos afirmar que esta tríplice posicionou o Palmeiras definitivamente na primeira prateleira dos maiores campeões da Copa do Brasil. Ademais, assim como Grêmio e Cruzeiro, podemos estender ao “Alviverde Imponente” a alcunha de time copeiro. Numa galeria recheada de títulos, é difícil cunhar que 2020 foi o ano mais importante da história centenária palmeirense, mas o mesmo já adquiriu um capítulo especial na memória afetiva da “torcida que canta e vibra”.

(Tosta Neto, 09/03/2021)

 

0 comentários:

CURTA!