terça-feira, 22 de junho de 2021

“A CPI NÃO VAI TRAZER EFEITO ALGUM”, DIZ ARTHUR LIRA

Arthur Lira (PP-AL), presidente da Câmara dos Deputados, afirmou que a CPI (Comissão Parlamentar de Inquérito) da Covid no Senado “não vai trazer efeito algum”. O congressista, responsável por pautar pedidos de impeachment, afirma que não há “circunstâncias” para abertura de um processo contra o presidente Jair Bolsonaro (sem partido).

“Neste momento, a CPI é um erro. A guerra está no meio. Como é que você vai apurar crime de guerra no meio da guerra? Como vai dizer qual é o certo?”, disse Lira em entrevista ao jornal O Globo, publicada nesta 3ª feira (22.jun.2021). “A CPI polarizou politicamente e não vai trazer efeito algum, a não ser que pegue alguma coisa.”

Lira afirma ainda que a demora para o governo assinar o contrato com a Pfizer não resolveria o problema da pandemia. Segundo ele, do momento da proposta da farmacêutica até a assinatura do contrato pelo governo, o Brasil poderia ter recebido 3 milhões de doses a mais da vacina contra a covid-19.

“É muita dose. Ajudaria muita gente. Mas resolveria o problema da pandemia?” Lira também diz que a situação é diferente de outros países com populações menores. “Três milhões de doses no Brasil não vacinam Alagoas.”

O presidente da Câmara disse também que um impeachment precisa de circunstâncias específicas.

“Falta um conjunto de coisas. Enquanto a economia tiver em crescimento… Veja bem, não estou faltando com respeito a nenhuma vítima. 499 mil [mortos], 501 mil, são todas significativas como uma vida. Pelo amor de Deus! O que estou dizendo é que o impeachment não é feito só disso.”

Lira também afirmou que, no momento, Bolsonaro tem votos na Câmara para segurar processos abertos contra ele. Segundo o congressista, pautar o impeachment agora seria um teste com “122 votos que querem contra 347 que não querem”.

O presidente da Câmara afirmou que o foco no momento é votar as reformas administrativa e tributária e as privatizações. Também disse que tem compromisso, desde sua eleição, com 6 frentes, entre elas a das mulheres, ruralistas e anticorrupção. “E hoje essas matérias estão vindo.”

Lira defendeu ainda a reforma administrativa, que está sendo discutida em uma comissão especial da Câmara. Segundo ele, o texto não irá acabar com o funcionalismo. “Não vai mexer em um centímetro de direito adquirido, tenho dito isso. Não vamos permitir nada da promulgação para trás. Agora, da promulgação para a frente, é nossa obrigação fazer um Estado mais ágil, mais moderno.”

O congressista também comentou sobre as eleições de 2022. Para ele, a disputa está entre Bolsonaro e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT). “Lula é um player importante. Presidente duas vezes. O que eu não acredito é em 3ª via. Não tem condição. No Brasil, nunca houve isso”, disse Lira.

Como mostrou o Poder360, em 8 eleições para presidente, nenhuma 3ª via deu certo no Brasil. Desde 1989, uma opção fora da polarização nunca chegou ao 2º turno nas eleições diretas para presidente.

*PODER360


0 comentários:

CURTA!