domingo, 5 de setembro de 2021

7 DE SETEMBRO DE 1968 EM AMARGOSA FOI ETERNIZADO COMO CENA DO "CINEMA NOVO" BRASILEIRO


Em 6 de setembro de 1969, foi lançado o longa-metragem "O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro", filme que mostrou o "Cinema Novo", genuinamente brasileiro para o mundo. 

O filme foi o primeiro longa-metragem a cores, roteirizado e dirigido por Glauber Rocha, cineasta nascido em Vitória da Conquista na Bahia, precursor do "Cinema Novo" brasileiro. Com baixo custo de produção, e o lema, "uma câmera na mão e uma ideia na cabeça", Glauber mostrou a cultura do Brasil para o mundo. 

O longa traz no elenco Maurício do Valle, Odete Lara, Othon Bastos e Hugo Carvana, entre outros figurantes, habitantes de Milagres e Amargosa, municípios do interior da Bahia onde o filme foi gravado. O desfile de 7 de setembro em Amargosa (filmado em 1968), foi cenário para trecho do filme, onde também o então prefeito, Jorge Sales, aparece ao lado do ator Hugo Carvana em take de fronte a prefeitura do município.

Com o longa, Glauber ganhou o prêmio de Melhor Diretor no Festival de Cannes na França em 1969, onde o filme ficou conhecido internacionalmente como Antonio das Mortes, nome do protagonista da trama. 

      👆🏼Entrevista de Glauber Rocha em Cannes (1969), correspondente francesa na Rádio França do Rio 

Em  2015, "O Dragão da Maldade contra o Santo Guerreiro", entrou na lista feita pela Associação Brasileira de Críticos de Cinema (Abraccine) dos 100 melhores filmes brasileiros de todos os tempos.

Apesar da história simples, o diretor Glauber a conta de uma forma alegórica, misturando cordel e ópera, priorizando a música e os ritos folclóricos próprios da população nordestina. Glauber envolve a narrativa dentro do olhar metalinguístico comum ao cinema novo. 

0 comments:

CURTA!