segunda-feira, 11 de maio de 2020

INFODEMIA: FLUXO DE INFORMAÇÕES AFETA SAÚDE MENTAL EM TEMPOS DE PANDEMIA DE COVID-19

Um dos maiores desafios durante a pandemia de Covid-19 é manter a saúde mental. Entre os obstáculos está a enxurrada de informações, falsas e verídicas, circulando todos os dias. Assim surge a infodemia, sensação de aflição e pânico que se instala na população devido a quantidade de informações na mídia.
A avalanche de notícias impacta na saúde mental gerando ansiedadecrises de pânico e abalando o emocional das pessoas. Quem já sofre com transtornos mentais como depressão e síndrome do pânico, deve ter um cuidado redobrado em como está se informando para não agravar o quadro.
Evitar fake news sobre o coronavírus é um cuidado com saúde mental!
TV, redes sociais, grupos de WhatsApp: as informações sobre o Covid-19 estão por toda a parte. Porém, na internet, muitas notícias falsas circulam e acabam gerando uma preocupação desnecessária.
Neste momento de infodemia, buscar reduzir o contato com o excesso de informações e possíveis fakes news é muito importante para a saúde mental. Para isso, procure atualizar-se sobre as informações a cerca da pandemia apenas uma vez ao dia.
Busque informar-se por um veículo de mídia confiável, seja na televisão ou em um portal de notícias online.
OMS e redes sociais unem-se para combater a infodemia
Desde o início da pandemia de coronavírus, uma das preocupações da Organização Mundial da Saúde (OMS) é justamente as informações falsas e como o cenário pode interferir na saúde mental. Por isso, a organização buscou o apoio de grandes plataformas para levarem links de informações confiáveis a seus usuários.
No Instagram, ao pesquisar sobre a doença, no topo dos resultados aparece um link para que você acesse as notícias direto do site do Ministério da Saúde do Brasil. Na sequência, aparecem os perfis verificados da OMS e da Unicef.
No Facebook, o resultado de pesquisas sobre o tema destaca a Central de Informações sobre o Covid-19, com atualizações sobre o coronavírus em páginas reconhecidas, como Ministério da Saúde, OMS e Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz).
Desde fevereiro, o Pinterest exibe uma notificação para quem pesquisa sobre o Covid-19. A rede social avisa que está limitando os resultados da pesquisa a Pins de organizações de saúde reconhecidas internacionalmente. A empresa ainda indica que, se o usuário está procurando por orientação médica, deve buscar ajuda profissional.
Essas são algumas formas seguras de encontrar informações nas redes sociais.

Faça parte de uma corrente do bem

Segundo o Dr. Steven S. Coughlin, especialista em epidemiologia e tratamento psiquiátrico em veteranos em um estudo publicado na Public Health Review, o sentimento mais comum em momentos de pandemia é o de solidariedade social. A população cria um senso de colaboração e mobiliza-se para ajudar na redução dos danos.
No Brasil, já existem diversas ações neste sentido. As ações vão de distribuições de marmitas a moradores de rua à entrega de itens básicos de higiene em favelas.
Muitos artistas estão realizando lives no YouTube em prol de instituições de caridade, para angariar doações.
Compartilhar histórias positivas e sentir que está ajudando alguém, também pode contribui para a saúde mental neste momento.

0 comentários:

CURTA!