terça-feira, 18 de maio de 2021

NOVO TRATAMENTO EXPERIMENTAL CONTRA A COVID-19 REDUZ CARGA VIRAL EM 99,9% EM TESTES COM ANIMAIS

Uma equipe internacional de cientistas da Universidade de Griffith, na Austrália, e do centro de pesquisas americano City of Hope desenvolveu uma terapia antiviral experimental para tratar a Covid-19. Em testes com camundongos, o tratamento reduziu em 99,9% a carga viral nos pulmões dos animais. A pesquisa foi publicada na revista científica Molecular Therapy.

Em vídeo, o pesquisador Nigel McMillan, professor e diretor do Programa de Doenças Infecciosas e Imunologia da Universidade de Griffith, explica que essa é uma tecnologia que funciona com pequenos pedaços de RNA que podem se ligar especificamente ao genoma do vírus e essa ligação faz com que o genoma "não funcione mais" e as células o destruam.

"Os medicamentos de RNA precisam ser entregues em algo chamado de nanopartículas. Então nós injetamos na corrente sanguínea e as nanopartículas vão para os pulmões e se fundem nas células, entregando o RNA. O RNA busca o vírus e destrói seu genoma, então o vírus não pode mais se replicar", explica o pesquisador no vídeo de divulgação.

Ele acrescenta que o processo é "incrivelmente específico" apenas para o vírus, então as células normais não sofrem nenhum efeito colateral com o tratamento.

"O tratamento com siRNA específico para vírus reduz a carga viral em 99,9%. Essas nanopartículas furtivas podem ser entregues a uma ampla gama de células pulmonares e silenciar genes virais", afirmou McMillan, em nota.

Segundo o pesquisador, o uso da terapia em camundongos infectados com SARS-Cov-2 aumentou a sobrevivência dos animais. "Notavelmente, em sobreviventes tratados, nenhum vírus foi detectado nos pulmões", destacou McMillan.

0 comentários:

CURTA!