quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Se for obrigado a jogar final, Atlético Nacional pensa em colocar sub-17 ou fazer gols contra

O Atlético Nacional já decidiu o que fazer se for obrigado pela Conmebol a jogar a final da Copa Sul-Americana contra a Chapecoense, mesmo após ter abdicado do título depois do acidente que matou 71 pessoas no voo da equipe brasileira.
Segundo o empresário brasileiro Luiz Taveira, que esteve no time de Medellín nesta quinta, os dirigentes do clube colombiano avisaram a ele que vão entregar uma eventual decisão em outra data.
"Eles leram o regulamento e decidiram que se a Conmebol não aceitar a solicitação feita por eles de entregar o título e o prêmio da competição para a Chapecoense, e se tiverem que jogar em outra data, vão entrar com um time sub-17. Ou com o time profissional, e que fariam quantos gols contra necessitarem", declarou Taveira.
De acordo com o agente, as palavras são do diretor do Atlético Nacional, Victor Marulanda. A reportagem perguntou ao empresário se poderia publicar os dizeres do dirigente colombiano, e Taveira autorizou. "Pode sim, pois é a pura verdade", definiu.
Ainda conforme as palavras de Marulanda a Taveira, o time colombiano pretende ter uma longa relação com a Chapecoense. "Eles disseram que vão procurar manter um lanço de amizade com a Chapecoense pelos próximos seis anos para a completa reestruturação da mesma. Que irão solicitar o uso do escudo da Chape para os jogos. Saí de lá emocionado", avisou.
Nesta quarta, o Atlético Nacional realizou uma cerimônia em seu estádio - onde seria a final da Sul-Americana e na mesma hora da partida - em homenagem à Chapecoense e a todas as 71 vítimas do voo que caiu na última terça-feira, próximo a Medellín. Perderam a vida 19 jogadores, 16 membros da comissão técnica, oito cartolas, 21 jornalistas e sete tripulantes.
O Atlético Nacional já avisou à Conmebol que quer abrir mão do título e entregar a taça à Chapecoense. A entidade ainda não se manifestou.

(Fonte: ESPN)

0 comentários:

CURTA!