sexta-feira, 23 de agosto de 2019

SAIBA QUEM SÃO OS DEPUTADOS CAMPEÕES DE FALTAS NA ASSEMBLEIA LEGISLATIVA

O deputado estadual Roberto Carlos (PDT) lidera o ranking de parlamentares da Assembleia Legislativa que mais faltaram às sessões de votação este ano sem apresentar justificativa, aponta levantamento feito pela Satélite com base no registro de frequência em plenário divulgado no site de transparência da Casa. Ao todo, o pedetista já acumula 22 ausências injustificadas desde o começo da atual legislatura. Em segundo, empatados com 17 faltas, estão Rogério Andrade Filho e Alan Castro, ambos do PSD. Logo abaixo, aparece Tum (PSC), que não foi a 16 das 76 sessões ordinárias e extraordinárias realizadas em 2019. Dividem o quarto lugar, com 15 faltas, Adolfo Menezes (PSD) e Luciano Simões Filho (DEM). Laerte do Vando (PSC) completa o top 5 dos mais faltosos, com 14 ausências.
Juntos e misturados
José de Arimateia (PRB) e Pastor Tom (PSL) também compõem a lista dos deputados menos assíduos, com 13 faltas, seguidos por Talita Oliveira (PSL) e Zó (PT), ausentes em 12 sessões deliberativas convocadas pela Assembleia.
Turma do meio
Quatro deputados estaduais também apresentam alto número de ausências no levantamento obtido pela coluna: Neusa Cadore (PT) e Diego Coronel (PSD), cada um com 11, mais Samuel Júnior (PSB) e Antonio Henrique Junior (PP), ambos com 10. Na fila dos parlamentares com nove faltas registradas este ano, há outros quatro: Capitão Alden (PSL), Júnior Muniz (PP), Robinho (PP) e Soldado Prisco (PSC). Embolados com oito ausências, estão Fabíola Mansur (PSB), Sandro Régis (DEM), Maria Del Carmen (PT), Paulo Câmara (PSDB), Jusmari Oliveira (PSD), Vítor Bonfim (PL) e Targino Machado (DEM).
O deputado estadual Roberto Carlos (PDT) lidera o ranking de parlamentares da Assembleia Legislativa que mais faltaram às sessões de votação este ano sem apresentar justificativa, aponta levantamento feito pela Satélite com base no registro de frequência em plenário divulgado no site de transparência da Casa. Ao todo, o pedetista já acumula 22 ausências injustificadas desde o começo da atual legislatura. Em segundo, empatados com 17 faltas, estão Rogério Andrade Filho e Alan Castro, ambos do PSD. Logo abaixo, aparece Tum (PSC), que não foi a 16 das 76 sessões ordinárias e extraordinárias realizadas em 2019. Dividem o quarto lugar, com 15 faltas, Adolfo Menezes (PSD) e Luciano Simões Filho (DEM). Laerte do Vando (PSC) completa o top 5 dos mais faltosos, com 14 ausências.
Juntos e misturados
José de Arimateia (PRB) e Pastor Tom (PSL) também compõem a lista dos deputados menos assíduos, com 13 faltas, seguidos por Talita Oliveira (PSL) e Zó (PT), ausentes em 12 sessões deliberativas convocadas pela Assembleia.
Turma do meio
Quatro deputados estaduais também apresentam alto número de ausências no levantamento obtido pela coluna: Neusa Cadore (PT) e Diego Coronel (PSD), cada um com 11, mais Samuel Júnior (PSB) e Antonio Henrique Junior (PP), ambos com 10. Na fila dos parlamentares com nove faltas registradas este ano, há outros quatro: Capitão Alden (PSL), Júnior Muniz (PP), Robinho (PP) e Soldado Prisco (PSC). Embolados com oito ausências, estão Fabíola Mansur (PSB), Sandro Régis (DEM), Maria Del Carmen (PT), Paulo Câmara (PSDB), Jusmari Oliveira (PSD), Vítor Bonfim (PL) e Targino Machado (DEM).
Prêmio de assiduidade
Na ponta inversa da tabela, apenas quatro parlamentares não somaram falta sem justificativa nas votações em plenário desde o início do ano: Pedro Tavares (DEM), Rosemberg Pinto (PT), Zé Cocá (PP) e Marcell Moraes (PSDB). A lista dos deputados com uma ausência é formada por Alex Lima (PSB), Tiago Correia (PSDB) e Zé Raimundo (PT). Já Kátia Oliveira (MDB), David Rios (PSDB), Olívia Santana (PCdoB), Alan Sanches (DEM) e Nelson Leal (PP), presidente da Assembleia, faltaram duas vezes este ano. O restante teve de três a sete ausências.
Eco do passado
Incomodado com a movimentação de conhecido lobista baiano que atua há décadas em Brasília, um grupo de políticos vem coletando farta munição contra o alvo. Em especial, a lambança envolvendo a venda de um loft na Praia do Forte. De acordo com as informações colhidas, o lobista adquiriu o imóvel de um advogado, mas não quitou o valor acertado. Mesmo sem ser dono de fato do loft, o vendeu para outra pessoa, que só descobriu a cilada quando tentou passar o bem para seu nome.
*CORREIO 24 HORAS / edição Outro Olhar Info
Outro Olhar Info no WhatsApp
                                                                                                Curta nossa página no Facebook 👍🏻

                                                                                                                  Siga nosso Instagram 📷

0 comentários:

CURTA!