sábado, 11 de abril de 2020

ACIAPA EMITE NOTA SOBRE O FUNCIONAMENTO DO COMÉRCIO DE AMARGOSA

O Bruto | Rui Costa inaugura Disep e obras viárias em Amargosa
Diante dos últimos fatos associados à pandemia mundial gerada pelo Coronavirus (COVID-19), A Associação Comercial, Industrial e Agropecuária de Amargosa vem através dessa nota esclarecer sua posição para os empresários, colaboradores, gestores públicos e população em geral.
A Aciapa através de sua diretoria e associados acredita que a OMS e o Ministério da Saúde do Brasil são as entidades com mais propriedade e credibilidade para definir os parâmetros a serem seguidos nesse momento, partindo desse ponto acreditamos que o distanciamento social é fundamental nesse momento onde o mundo todo tenta entender, se adaptar e reagir a essa triste doença que pegou todos de surpresa.
Diversos institutos conceituados em todo mundo como o Instituto Robert Koch na Alemanha, Instituto Butantan em São Paulo, como o próprio Ministério da Saúde de nosso país preveem que essa pandemia pode levar meses e até passar de um ano, visto principalmente que ainda será desenvolvida, testada e fabricada uma vacina para a doença e que até então não existe nenhum tipo de tratamento que seja cientificamente comprovado de forma efetiva para tratar e curar os doentes contaminados.
Entendemos que o COVID-19 provoca risco claro ao sistema de saúde dos estados, municípios e consequentemente a sua população, como também acreditamos que a depressão, alcoolismo, violência, fome, ansiedade e pânico também provocam os mesmos riscos, tendo isso em vista a posição da Aciapa é que as medidas de prevenção e restrições implantadas devem ser muito bem pensadas para não afetar de forma inconsequente a saúde das empresas, provocando a falência das mesmas e consequentemente demissões em massa de nossos colaboradores, o que levaria a um grave problema de curto, médio e longo prazo.
A Aciapa não compreende como medida efetiva nesse momento o fechamento parcial do comércio, escolhendo exatamente as empresas que foram mais afetadas pela crise, que naturalmente já tinham um fluxo muito baixo de clientes e que não influenciavam de forma significativa no fluxo de pessoas na cidade, assim como não estavam gerando aglomerações no interior de suas lojas, a Aciapa considera que essas empresas são totalmente capazes de manter o funcionamento, respeitando os seus clientes e colaboradores, com segurança, responsabilidade e seguindo as determinações dos órgãos de saúde responsáveis.
Vemos como medidas efetivas e funcionais a posição adotada pelos governos estaduais e municipais em não permitir o transporte de pessoas através de ônibus, vans e afins, assim como suspender as aulas letivas nos âmbitos estaduais e municipais, a proibição de locais de compartilhamento de objetos como bares, restaurantes, lanchonetes e academias, a proibição de reuniões, shows ou quaisquer eventos públicos e privados superiores a 20 pessoas e as barreiras sanitárias que estão sendo feita nas entradas da cidade.
Visto que nossa cidade apresenta no momento o número de casos confirmados igual a zero, que talvez esse seja o nosso melhor cenário em muitos meses, fechar as empresas de menor fluxo de forma indeterminada é condenar as empresas a falência eminente, desconsiderando totalmente tudo que elas fizeram pela história de nossa cidade, contribuindo com empregos, impostos, serviços e produtos que abasteceram nossa população por muitos anos e, principalmente, é não olhar para o colaboradores que dificilmente conseguirão outro emprego exatamente no momento que eles precisam mais que nunca manter os seus.
Nenhuma instituição do nosso município compreende a dinâmica das empresas, clientes, fluxos de pessoas, horários de picos e interesses de consumo como a ACIAPA, apesar de termos participado de algumas reuniões com a gestão municipal, ouvimos muito mais que falamos, em nenhum momento foi nos dado direito a voto ou ao menos consultado sobre questões como: (Quando fechar? Por quanto tempo fechar? Quais segmentos fechar? Qual o impacto de cada segmento? Quanto tempo as empresas conseguem sobreviver fechadas? Onde ocorrem as aglomerações e como evitá-las? ).
É nítido e notório para nós da Associação Comercial e por toda população, que apesar do fechamento parcial de alguns segmentos está em curso, se mantém de forma muito similar o fluxo de pessoas no comércio, é visto praticamente todos os dias o agrupamento e aglomeração de pessoas. Entendemos quão complicada é a tomada de decisões nesse momento tão difícil e sem precedentes, por isso esperamos encarecidamente o momento de poder ajudar nas decisões que irão garantir a segurança da saúde da nossa população, assim como a manutenção dos empregos e da dignidade do nosso povo.
Att, Diretoria da Aciapa.

0 comentários:

CURTA!