domingo, 29 de setembro de 2019


Um grupo de arqueólogos acaba de fazer uma descoberta surpreendente na região do Mar da Galileia. Resgatou um mosaico colorido, que joga nova luz sobre um dos episódios mais conhecidos do Novo Testamento: o milagre da multiplicação dos pães e peixes. Constituído de formas geométricas e representações de pássaros, peixes e frutas, ele traz imagens simbólicas que representam esse momento. Enterrado por 1.500 anos, foi recuperado em condições excepcionais em um sítio arqueológico no alto de uma colina, em Israel.
O mosaico estava nas ruínas da chamada “Igreja Queimada”, que foi construída na virada do século V para o VI. O templo teve uma duração relativamente breve. Foi destruído no início do século VII, durante a conquista do Império Sassânida (império persa pré-islâmico). Ficava localizado na cidade de Hippos, que também foi destruída por um terremoto no ano de 749. As ruínas do complexo foram parcialmente expostas há dez anos, e a igreja foi escavada apenas em julho passado. E daí veio a surpresa.
Bom estado surpreendeu
O arqueólogo Michael Eisenberg, da Universidade de Haifa, corresponsável pelas escavações, disse que o bom estado do mosaico surpreendeu. “É o mais bem preservado de todas as igrejas de Hippos. Isso não aconteceu devido à qualidade, mas por causa da forma como o telhado da igreja ruiu. Com o fogo, ele caiu e cobriu toda a área com 49 cm de cinzas”, disse. O colapso criou uma camada natural de proteção. “Como a igreja nunca foi reconstruída desde o século VII, encontramos o mosaico praticamente intacto. Em geral, algumas paredes desabam e parcialmente, deixando o piso exposto às intempéries.” Os objetos encontrados, como cerâmica, datam do século V.
Para o pesquisador, a descoberta dá pistas sobre a localização do episódio bíblico, que aparece no Novo Testamento, nos Evangelhos de Mateus, Marcos, João e Lucas. A tradição atribui o milagre à região de Tabgha, no noroeste do Mar da Galileia (que é na verdade um lago de água doce com 19 km de largura). É nesse local que se localiza a Igreja da Multiplicação dos Pães e Peixes, onde ficavam duas igrejas antigas. Mas as escavações feitas nas últimas semanas, em Hippos, ao leste do Mar da Galileia, podem indicar um novo cenário.
Segundo a Bíblia, Jesus usou cinco pães e dois peixes para alimentar 5 mil homens. Depois disso, caminhou sobre as águas até atingir o noroeste do Mar da Galileia, onde se localiza Tabgha. Como o milagre precede a caminhada, o seu local, então, poderia ser em Hippos. Para reforçar essa interpretação, o mosaico recém-revelado é mais fiel à descrição dos Evangelhos. Diferentemente do que ocorre em outro mosaico na Igreja da Multiplicação, ele mostra dois peixes e cinco pães que teriam sido usados para alimentar a multidão. Além disso, inclui a representação de 12 cestas, assim como descreve a Bíblia. Supõe-se que a localização da igreja, assim como os símbolos que ela carregava, representem o conhecimento acumulado dos habitantes da região no início da era cristã.
Essas são hipóteses levantadas — ainda que com cautela — pelo arqueólogo. Ele afirma que sua equipe não encontrou outros indícios do milagre ou acerca de outros episódios descritos na Bíblia. Mas isso não importa. Além de desvendar a exuberância de uma peça milenar, quase intacta, esses pesquisadores estão na verdade enriquecendo um episódio importante que atribuiu divindade a Jesus entre os primeiros cristãos.

(Fonte: IstoÉ / *Edição OutroOlharInfo)

0 comentários:

CURTA!